Andréa Catrópa da Silva

É Doutora em Teoria Literária pela FFLCH-USP. Na área de produção artística e cultural, recebeu duas vezes o prêmio Rumos, do Itaú Cultural. Dirigiu a série de rádio Ondas Literárias, premiada pela Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo (PAC). Como autora, foi contemplada pelo Edital de Publicação de Livros da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo (2017) e pelo PROAC (2012). Entre 1996 e 2006, atuou como profissional nas áreas de Comunicação Visual e de Design Gráfico. Realizou pesquisa de pós-doutorado (PPG Design – UAM) voltada à investigação da literatura digital e suas interfaces com o design, a arte e a tecnologia. Membro da DRS – Design Research Society e da ELO – Eletronic Literature Organization. É professora da linha de pesquisa Teoria, História e Crítica do Design, no PPG Design da Universidade Anhembi Morumbi.

Arte e Design – Algumas confluências e tensões históricas

O grupo destina-se a investigar as relações históricas entre a arte e o design, em suas manifestações desde as primeiras décadas do século XX até o presente. Ainda que muitas abordagens da história da arte contemplem o design como uma atividade com objetivos estranhos ao fazer artístico, é perceptível a contaminação entre ambas as esferas, sobretudo, desde a eclosão das vanguardas históricas, com uma acentuada importância da tipografia e do design gráfico nas obras dadaístas e futuristas, apenas para citar dois exemplos. Esse movimento se acentua nas décadas de 1950 e 1960, com fenômenos como a Arte Concreta e a Pop Art e, a partir dos anos 1970, a experimentação com os meios eletrônicos e digitais torna cada vez mais lábil a fronteira entre arte e design, o que transforma o estudo dos imbricamentos entre essas áreas um campo fértil para pesquisa na contemporaneidade.

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/676953

Design, Literatura e Tecnologia – materialidades do texto em suportes diversos

O questionamento do papel como suporte ideal para a literatura, e desta como sendo constituída por uma sequência de letras cuja materialidade visa apenas transmitir a mensagem de um texto artístico ganha força, sobretudo, a partir dos anos 1950, com fenômenos como o Letrismo e a Poesia Concreta. As experiências desse período, em intenso diálogo com as vanguardas históricas, contribuíram para a expansão do campo literário, fazendo com que este frequentemente adotasse elementos advindos das outras artes, da tipografia e do design e, a partir das últimas décadas do século XX, se aproximasse, cada vez mais, do campo digital. Neste projeto, nos deteremos na pesquisa das relações históricas da literatura com suas manifestações físicas, buscando enfatizar como esse aspecto material é determinante para a compreensão do discurso literário integralmente.

Linha de Pesquisa: Teoria, História e Crítica do Design

Produções Bibliográficas – Periódicos

DA SILVA, Andréa Catrópa. Popcretos e a ressemantização icônica da poesia. Travessias, v. 14, n. 2, p. 37-54.

Resumo: O artigo discute as transformações ocorridas na poesia concreta paulistana a partir do contexto cultural dos anos 1960, quando a função social da literatura, em um país de passado colonial e em desenvolvimento, ganha força no meio cultural brasileiro. Nosso objetivo – por meio da leitura das reflexões de artistas que participaram do movimento, bem como de estudos críticos acerca do assunto – é explicitar as transformações do concretismo enfocando, sobretudo, os popcretos de Augusto de Campos. Essa obra não só demonstra um diálogo com seu tempo, mas também a antecipação de características do campo literário e artístico nacional em fins do século XX e início do XXI.

Palavras-chave: Poesia brasileira; poesia concreta; augusto de campos

http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/24654


PALOS, Karine Itao; DE CAMPOS, Gisela Belluzzo; DA SILVA, Andréa Catrópa. Typography in Interactive Poetry: Gestures and Their Contributions to Reading Multiplicities. In: International Conference on Human-Computer Interaction. Springer, Cham, 2019. p. 212-227.

Resumo: This study investigates the ways in which visual poems have expanded their creation and interpretation possibilities in digital environments. A significant poetic contribution of these media is the possibility of physical interferences by the reader, thus transforming the reader into an interactor. Another fundamental element for the materialization of electronic poetry (or e-poetry) is typography. Contrary to what occurs on paper, it is possible to interact, deform and transform the types that constitute poems in digital interfaces, which brings the novelty of inserting gestures as creative poetry potentialities. In order to explore these hypotheses, this article comprises two stages. In the first, we will establish a relation between the following poems: lygia fingers (1953), dias dias dias (1953), Poemóbile vivavaia (1974) and criptocardiograma (2003), all by Augusto de Campos, and the theory raised by Plaza [1] concering the degrees of interpretation that influence interactivity. In the second stage, we will discuss the subjectivity of implicit gestures in digital poetry, based on two works: Segundo Soneto Meio Barroco (2000), by Alckmar Luiz dos Santos and Gilbertto Prado, and Between Page and Screen (2012), by Amaranth Borsuk and Brad Bouse.

Palavras-chave: Visual poetry; e-poetry; Typography; Design; Gesture and digital interaction

https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-030-22636-7_15


DA SILVA, Andréa Catrópa. Vozes de papel, tinta, luz – reflexões sobre a materialidade das palavras na literatura. Remate de Males, v. 39, n. 1, p. 149-170, 2019.

Resumo: A história da literatura costuma dar pouco destaque às produções textuais que erigem sua voz na fronteira entre as artes e as Letras. No entanto, desde fins do século XIX, a materialidade das palavras foi posta em relevo por Mallarmé e, posteriormente, expoentes da vanguarda europeia como Apollinaire, Zdanovitch e Marinetti. Essa ênfase no aspecto visual do texto foi recuperada, em solo nacional, pela poesia concreta. Ancorados na teorização de seus pressupostos, os poetas concretos foram alvo tanto de admiração quanto de rechaço por parte da crítica literária. Como estratégia de resistência a essa vocação polemista, seus próceres objetivaram suas ideias com a ajuda do conceito poundiano de paideuma, estabelecendo critérios para seu trabalho a partir da identificação de procedimentos criativos em um rol seleto de autores que os precederam. Devemos acatar essa linhagem autoestabelecida de uma poesia de invenção ou seria melhor inseri-los no legado de uma textualidade expandida, que caminhou em paralelo à história literária canônica e antecipou potencialidades intermidiáticas?

Palavras-chave: Poesia concreta brasileira, Poesia visual, Intermedialidade.

https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8653997


CATRÓPA, Andrea, and PRADO, Gilbertto. 2018. “Designed Words: Aesthetics of the Future in Brazilian Concrete Poetry.” The International Journal of Visual Design 12 (4): 35-53.

Resumo: If the historical vanguards have brought literature closer to the other arts, concrete poetry has dialogued intensely with design. The purpose of this article is to show why the concrete poetry movement, which had simultaneous exponents in several countries, presented unique characteristics in Brazil. This objective will be achieved through the amplification of some of the international readings regarding concrete Brazilian poetry. In our study, we will elucidate the particularities of the Brazilian context that drove the aesthetic research of concretism. In the 1950s, the euphoria over the creation of Brasilia from a master plan (called Plano Piloto) highlighted the importance of architecture and design in the idea of building the future. This prompted a small group of poets to challenge the linearity of verses by experimenting with typography, word spatialization, and the use of shapes and colors to bring text closer to design. Our article will show that concrete poets’ bold poetic proposals would only become more understandable with the emergence of digital media and aesthetic research around the digital literature.

Palavras-chave: Concrete Poetry, Typography, Digital, Internet, Multimedia Design.

https://cgscholar.com/bookstore/works/designed-words


CATRÓPA, Andrea; NESTERIUK, Sergio; PRADO, Gilbertto. From Hörspiel to Audio Fiction: Sound Design Perspectives for Blind and Visually Impaired People. In: International Conference on Digital Human Modeling and Applications in Health, Safety, Ergonomics and Risk Management. Springer, Cham, 2018. p. 268-279.

Resumo: Since the emergence of radio, the hörspiel (audio drama) has demonstrated the possibility of incorporating the narratological inheritance to the technical specificities of sound language. The growing demand for accessible content expanded the audio narrative production through new technologies. Audiobooks and screen reader applications also have improved this process. However, they focus primarily on the semantic and verbal aspects of the text. This article endorses that sound design is a way to broaden the narrative potentialities for Blind and Visually Impaired People (BIVP) and at the same time to attract people with all levels of vision to the universe of innovative audio fiction.

Palavras-chave: Accessibility; Inclusion; Sound design; Audio fiction;  Well being.

 https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-319-91397-1_23


SILVA, Andréa Catrópa da, GARCIA, Marília: para onde nos levam as hélices do poema? Estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 55, p. 309-323, 2018.

Resumo: Em 2017, a poeta brasileira Marília García publicou Câmera lenta, livro que se destaca pelo equilíbrio entre a continuidade das experimentações estéticas já iniciadas anteriormente e a resolução formal de cada poema. O mote dos meios de transporte, elo com outras poéticas da modernidade, ganha aqui tratamento particular e em consonância com outros questionamentos da contemporaneidade. Entre hélices, turbinas, voos e aeronaves que aparecem frequentemente nos seus versos emerge um sujeito lírico na iminência da desintegração, mas que insiste no poema como forma de ecoar a experiência única e ancorada no tempo que consiste na vida humana.

Palavras-chave: Marília Garcia; poesia brasileira contemporânea; poesia e modernidade; poesia literal; lirismo crítico.

https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2316-40182018000300309&script=sci_arttext


Produções Bibliográficas– Capítulos de Livros

SILVA, Andréa Catrópa da.  NETO, Afonso Henriques: a dialética entre ironia e analogia. In: BOSI, Viviana e Renan Nuenrberger. Neste instante – Novos olhares sobre a poesia brasileira dos anos 1970. São Paulo, Humanitas, 2018, p.403-435.


SILVA, Andréa Catrópa da. Quem fala nos textos críticos de Ana Cristina Cesar? In: FALEIROS, Álvaro; Roberto Zular e Viviana Bosi. Sereia de Papel – Visões de Ana Cristina Cesar. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2025, p. 127-148.


Produções Bibliográficas – Anais

CATRÓPA, Andréa; PRADO, Gilbertto. Escrevendo com robôs-poéticas do texto digital. V Simpósio internacional de inovação em mídias interativas. Goiânia-GO, UFG, 2018.

Resumo: O uso de dispositivos digitais para a produção textual fez com que escritores passassem a utilizar-se, cada vez mais, destas ferramentas como matéria e veículo para seu trabalho. Se no circuito institucional da literatura parece haver certa resistência para abraçar a transdisciplinaridade sem reservas, os poetas, sobretudo, revelam-se mais permeáveis às novas mídias, como nos mostram movimentos como o Conceptualismo, a Flarf, a Spam Poetry, a Google Poetry, a CodePoetry, entre outros. Esses exemplos não apenas refletem o desejo de dialogar criativamente com as potencialidades do meio digital, como reforçam um traço verificado desde os primórdios dos registros desse gênero, que é a pesquisa formal dos limites da linguagem para alcançar o máximo de eloquência poética. Era de se esperar, assim, que no século XXI proliferassem experimentos mesclando não só as várias linguagens da arte-tecnologia, como questionando o papel do código enquanto fator determinante do que se manifesta em nossas telas. Esses fatos trazem uma questão premente: a poesia que vemos em nossos smartphones, tablets, e-readers e computadores é uma questão de superfície ou do que se esconde sob a interface amigável? Nosso artigo irá navegar por essa questão, discutindo algumas premissas que guiaram poetas em seus experimentos verbivocovisuais e estimularam sua incursão pelas poéticas digitais.

Palavras-chave: Poéticas digitais, e-poetry, e-lit, conceptualismo, animismo estético.

https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/777/o/20_-_Andrea_Catropa.pdf


CATRÓPA, Andréa; PRADO, Gilbertto. Poesia verbivocovisual: materialidades da palavra nas fronteiras com o design e as artes. ANAIS DO XXVII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS, São Paulo, 2018.

Resumo: O artigo examina a poesia concreta brasileira a partir de duas abordagens complementares: a primeira é focar nas tendências internacionais da arte, visando uma abordagem geral ao seu contexto. O segundo é se debruçar sobre as características específicas que o movimento apresenta e que estão intimamente relacionados com a história do país onde surgiu. No primeiro enquadramento, trataremos do questionamento empreendido pelas vanguardas históricas à supremacia da escrita linear na literatura, semeando a transdisciplinaridade que posteriormente viria a ser característica da poesia digital. Já no âmbito nacional, a importância do design moderno em meados do século XX também preparou terreno para a abordagem verbivocovisual do texto poético.

Palavras-chave: Poesia concreta; design gráfico; arte de vanguarda.

http://anpap.org.br/anais/2018/content/PDF/27encontro______CATR%C3%93PA_Andr%C3%A9a__PRADO_Gilbertto.pdf


CATRÓPA, Andréa; PRADO, Gilbertto. Quando a palavra não basta – a poesia e a sua relação duradoura com as outras artes. ANAIS DO XXVI ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS, São Paulo, 2017.

Resumo: A poesia concreta brasileira postulou seus primeiros manifestos na década de 1950 e inaugurou, em solo nacional, uma tradição de poesia que dialoga com outras artes e flerta com a sua projeção para fora do papel. Ancorados na teorização de seus pressupostos, os poetas concretos foram alvo tanto de admiração quanto de rechaço por parte da crítica literária. Como estratégia de resistência a essa vocação polemista, seus próceres objetivaram suas ideias com a ajuda do conceito poundiano de paideuma, estabelecendo critérios para seu trabalho a partir da identificação de procedimentos criativos em um rol seleto de autores que os precederam. Devemos acatar essa linhagem autoestabelecida de uma poesia de invenção ou seria melhor inseri-los no legado de uma poesia interartes, que caminhou em paralelo à história literária tradicional e antecipou traços do conceito de intermídia?

Palavras-chave: Poesia concreta brasileira; poesia figurada; poesia visual; poesia interartes, poesia intermidia.

http://anpap.org.br/anais/2017/


Outra produção bibliográfica

  • Catrópa, A. Um festival de literatura eletrônica. O Estado de São Paulo – Caderno Aliás. SAO PAULO, p.E3 , 2018.
  • Catrópa, A. Mulheres e o cânone literário. Teoria e Debate. São Paulo, 2017.

Produção artística

Livros

  • Catrópa, Andréa. Homens adoram mulheres perfeitas. São Paulo: Patuá, 2019.
  • Catrópa, Andréa. Sem sistema. São Paulo: Patuá, 2017.

Multimídia

CATRÓPA, A. Falha Humana – Trilogia de poemas digitais. Exposição EmMeio#12.0, promovida pelo MediaLAB UNB, 2020.

ABRAHAMS, A.; GUEZ, E.; FULOP, E.; FAN, L.; POLD, S.; CATRÓPA, ANDREA Evento: Lingagens – Reading Club, performance online idealizada por Annie Abrahams e Emmanuel Guez e promovida pela Universidade de Lancaster, 2019.

CATRÓPA, A. POPKisses. A instalação digital fez parte de uma exposição da Cooperativa de Invenção, na Casa das Rosas em 2018.

DAT Journal – Design, Art and Technology (2526-1789)
https://datjournal.anhembi.br

Design Principles and Practices (2473-5736)
https://designprinciplesandpractices.com/journals/collection

LL JOURNAL  (1930-1693)
https://lljournal.commons.gc.cuny.edu

Estudos em Design (1983-196X)
https://www.eed.emnuvens.com.br/design/about

Texto Digital (1807-9288)
https://periodicos.ufsc.br/index.php/textodigital/index

Pós-Limiar (2595-9557 )
https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/pos-limiar

Teresa (2447-8997)
https://www.revistas.usp.br/teresa

Primeira Escrita (2359-0335)
https://periodicos.ufms.br/index.php/revpres/index

Revista de Letras (ISSN: 1981-7886)
https://periodicos.fclar.unesp.br/letras

REVISTA OPINIÃES (ISSN: 2525-8133)
http://www.revistas.usp.br/opiniaes/index

Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea (1518-0158)
https://periodicos.unb.br/index.php/estudos/

2017 – Prêmio Off Flip de Literatura | 2017 (Finalista -Poesia), Off Flip das Letras

2017 – 1º Edital de Publicação de Livros na cidade de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

2012 – Edital ProAC 30/2012 – Concurso de Apoio a Projetos de Criação Literária e Tradução, Secretaria de Estado da Cultura

2007 Edital PAC nº 01 – Programas de Áudio para Promoção da Literatura, Secretaria de Estado da Cultura

2007 Menção Honrosa – Poesia (autor estreante) Concurso Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte,

2007 Rumos – Crítica Literária, Itaú Cultural

2004 Rumos Literatura Audioficções – Adaptação de Texto Inédito, Itaú Cultural

2000 Menção Honrosa – Poesia, Concurso Literário Xerox – Livro Aberto

Eletronic Literature Organization
https://eliterature.org

Design Research Society
https://www.designresearchsociety.org

Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura
http://abciber.org.br